Simpósios Temáticos Aprovados

ATENÇÃO! PRORROGADO ATÉ 30/10/2019 A INSCRIÇÃO DE TRABALHOS NOS SIMPÓSIOS TEMÁTICOS!

          PARA GARANTIR AGILIDADE, FAVOR DEPOSITAR DIRETAMENTE NA AGÊNCIA DA CAIXA

 

INSTRUÇÕES PARA Inscrição de comunicações nos Simpósios Temáticos aprovados

 

- As comunicações poderão ser inscritas em formato individual e/ou em (no máximo) dupla.

- No caso da inscrição de trabalhos em dupla, o apresentador será considerado autor (receberá certificado de apresentador) e o outro participante será considerado coautor.

- Os resumos deverão conter, obrigatoriamente:

* Título; Autor (e-mail); Coautor (e-mail); Titulação; Vínculo Institucional; Simpósio Temático almejado e Resumo (entre 5 a 15 linhas).
- Formatação: Arial, tamanho 11, espaçamento simples e Margens 2,5.
-  A inscrição será efetivada através do e-mail do evento: simposiointernacionalhistueg@gmail.com

- Conta para depósito: Caixa Econômica Federal

Agência: 0954     - Operação: 013 (Conta poupança) - Conta: 00031769-0 - Titular: Marcos Vinicius Ribeiro (CPF: 041.125.329-89)

 Obs.: Enviar o comprovante para o e-mail do simpósio junto com O RESUMO.

MODALIDADES TAXAS

 

Professores da rede municipal e jovens participantes dos projetos sociais mantidos pela prefeitura municpal de Quirinópolis (com verba da prefeitura destinada ao evento)

 

ISENTOS DE TAXA

 

Estudantes da rede pública na modalidade de ouvintes

 

R$10,00 reais

 

Estudantes de graduação na modalidade de ouvintes

 

R$25,00 reais

 

Estudantes de graduação com apresentação de trabalhos

 

R$35,00 reais
Professores da rede pública estadual na modalidade de ouvintes

R$40,00 reais 

 

 

Estudantes de pós-graduação (com comprovado vínculo) e graduados em história ainda sem vínculo com apresentação de trabalhos

 

R$50,00 reais

 

Professores com apresentação de trabalhos

 

R$80,00 reais

 

________________________________________________________________________________________________

 

LISTA DOS SIMPÓSIOS TEMÁTICOS APROVADOS:

 

ST 1 - Religiões Orientais no Brasil e na América Latina: perspectivas das pesquisas na atualidade 

André Luiz Caes – Doutor em História – Docente da Universidade Estadual de Goiás – PPGH/Câmpus Morrinhos 

RESUMO: As chamadas religiões orientais – ligadas às tradições do Budismo, Hinduísmo, Taoísmo, Xintoísmo, especialmente – já fazem parte do campo religioso brasileiro e de outros países da América Latina há muitas décadas. Muitos estudos já foram realizados sobre a presença das mesmas nesses países, em especial no contexto de sua expansão para o Ocidente durante as décadas após o movimento da Contracultura, e mesmo nas décadas anteriores. Neste século XXI, num cenário aparentemente cada vez mais conservador, torna-se importante e interessante debater as trajetórias e experiências dessas religiões, assim como de suas doutrinas e práticas, e perceber as condições de sua inserção neste momento histórico inquietante. A partir dessa perspectiva, este Simpósio Temático pretende acolher os trabalhos acadêmicos que têm sido dedicados a refletir sobre os temas relacionados a essas religiões, propiciando um espaço para o diálogo e a reflexão sobre as questões pertinentes aos temas que envolvem e elucidam a presença das mesmas no Brasil e na América Latina.

__________________________________________________________________________________________________________

 

ST 2 - Cidade e História: As Representações da Modernidade e Progresso nos Discursos Legitimadores de Projetos de Reorganização Urbana

Júlio Cesar Meira - Doutor em História Social, Professor e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Estadual de Goiás (PPGHIS/UEG)

RESUMO: A presente proposta de Simpósio Temático pretende reunir trabalhos e comunicações que sejam resultantes de pesquisas que discutam os projetos de reestruturação urbana, bem como os problemas da urbanização na história das cidades no Brasil ao longo do século XX, tendo como base legitimadora os discursos de Modernização e Progresso. Um dos desafios mais prementes nesse processo de urbanização é a questão ambiental, que se apresenta nas mais diversas modalidades, ensejando diversas possibilidades de diminuir, mitigar ou evitar. Percebe-se que, ao mesmo tempo em que se construiu materialmente a cidade, foram produzidos os discursos que a legitimaram, bem como as práticas sociais e as intervenções, tanto do poder público quanto dos agentes privados. Sendo aceito, este será a quarta edição do ST, que já aconteceu na Semana de História da Universidade Federal de Uberlândia (2015); no IV Simpósio Nacional (I Internacional) de História da UEG (2015); e no VI Congresso Internacional de História da Universidade Federal de Goiás - Regional Jataí (2018).

 

__________________________________________________________________________________________________________

 

ST 3 - Terrorismo de Estado e Ditaduras de Segurança Nacional na América Latina (1950 A 1990)

Jussaramar da Silva - Doutora em História, Colégio de Aplicação João XXIII (UFJF)

Marcos Vinicius Ribeiro - Doutor em História, Professor do Curso de História da UEG-Quirinópolis

RESUMO: Este Simpósio Temático objetiva reunir pesquisas que tematizem os processos repressivos desencadeados na América Latina durante o último ciclo de ditaduras civis-militares-empresariais. A reflexão de conjunto e/ou singulares sobre tais processos possibilita a percepção das similaridades e dissonâncias em cada um dos países deste subcontinente, amparadas pela forma sob a qual o Estado capitalista atualizou sua maquinaria de guerra para atuar contra os inimigos eleitos (reais ou irreais). Restruturações capitalistas foram articuladas internacionalmente com o objetivo de transformar os Estados na sua lógica de violência, traduzida em serviços de informações, grupos militares, policiais e paramilitares, organismos de atuação da elite orgânica do capital, bem como aplicação de doutrinas repressivas. Ao mesmo tempo, é importante notar a atuação das burguesias nacionais associadas ao capital internacional, criando um terreno fértil para a ampliação de sua própria classe, na medida em que impôs a piora na vida da classe trabalhadora. Algumas dessas medidas foram: arrocho salarial; inflação; endividamento dos Estados (estes, inclusive, associados a tais demandas) e até o extermínio de alguns postos de trabalho, denotando amplo espectro de racionalização do processo de recuperação de capitais de acordo com a expectativa dessas burguesias. O binômio cesarismo/autocracia burguesa lançou mão do aspecto repressivo para que se pudesse manter os níveis desejáveis de extração de mais valia pela burguesia. A sincronia de atuações persecutórias, os pactos bilaterais e multilaterais de repressão, transformaram lutas sociais em motivo de prisões, sequestros, assassinatos, mortes e desaparecimentos forçados.

 

___________________________________________________________________________________________________________

 

ST 4 - História e Linguagens Artísticas: possibilidades de investigação histórica 

Daniel Ivori de Matos - Doutor, Instituto Federal Catarinense

Julierme Morais - Doutor, Universidade Estadual de Goiás

RESUMO: Este Simpósio Temático proposto no âmbito das atividades do III Simpósio Internacional de História da Universidade Estadual de Goiás visa estabelecer um espaço de interlocução entre historiadores e interessados (graduandos, graduados, especialistas, mestrandos, mestres, doutorandos e doutores) no debate sobre os caminhos da investigação histórica a partir de seus possíveis diálogos com as linguagens artísticas (cinema, literatura, artes visuais, dança, moda, teatro, televisão, HQ e outras). À luz do campo da História Cultural, objetiva-se fomentar debates alvissareiros acerca das relações existentes entre a investigação histórica e as expressões artísticas, tendo em vista as mais variadas temáticas e abordagens, bem como seus objetos e domínios privilegiados. De modo geral, a intenção é propiciar espaço de reflexão teórico-metodológico no tocante a notar não apenas as questões técnicas e de produção das linguagens, mas também sua própria historicidade, assim como as variáveis significações que lhe são atribuídas historicamente, isto é, seu consumo, apropriação e recepção. Portanto, através de diferentes olhares, o Simpósio Temático vislumbra possibilidades de constituir-se em espaço de investigações históricas, por um lado, sobre o impacto das linguagens artísticas e seu valor estético em determinados contextos e processos históricos, e, por outro, no que condiz à própria relevância das linguagens na constituição de acontecimentos e fatos históricos, especialmente suas representações e respectivos impactos na constituição da memória coletiva/memória histórica.

 

____________________________________________________________________________________________________________

 

ST 5 - Por que as histórias antiga e medieval importam? Qual a importância das histórias antigas e medievais para a história da América Latina?

Victor Passuello -  Doutor, UEG-Câmpus Quirinópolis

Edson Arantes Junior - Doutor, UEG-Câmpus Uruaçu

RESUMO: Neste simpósio queremos abrir espaço para o desenvolvimento, discussão e apresentação das pesquisas nas áreas de história antiga e medieval. Estamos, assim, aceitando propostas relacionadas a quaisquer tipos de pesquisa e trabalhos que estejam relacionados com o estudo de História Antiga e Medieval. Não importando se esses trabalhos são específicos aos recortes temporais da História Antiga e Medieval ou relativos ao ensino e a recepção da História Antiga e Medieval. Se faz necessário para a consolidação das pesquisas em História Antiga e Medievais discutir e refletir sobre a importância dos estudos clássicos e medievais dentro da realidade Contemporânea Brasileira e da América Latina em geral. Qual a importância das histórias antigas e medievais para o ensino da história da América Latina hoje? Como as pesquisas sobre a história antiga e medieval podem nos ajudar a entender a história da América Latina? Além de fazer essa reflexão sobre a história antiga e medieval dentro de uma perspectiva latino-americana queremos fortalecer a pesquisa e a formação de pesquisadores nas áreas de História Antiga e Medieval contribuindo para a interiorização das pesquisas em História Antiga e Medieval. A participação de pesquisadores de outras instituições dentro e fora do Estado de Goiás e do Exterior são bem-vindas, pois temos a intenção de criar redes de pesquisas e parcerias com outras instituições. Estudantes e bolsistas que estão iniciando as suas pesquisas nas áreas de História Antiga e Medieval são também bem-vindos. A criação de amplos espaços de discussão e pesquisas sobre as áreas de História Antiga e Medieval se faz muito necessária face ao pouco desenvolvimento dessas temáticas no interior de Goiás.

_____________________________________________________________________________________________________________

 

ST 6 - Políticas Públicas no Brasil: trajetórias e debates

Marcello Rodrigues Siqueira  - Doutor em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento (UFRJ), Professor efetivo na UEG-Iporá

Suzana Rodrigues Floresta - Mestre em História Cultural (PUC-GO), Professora efetiva na UEG-Iporá

RESUMO: O objetivo deste simpósio temático é discutir o papel das políticas públicas no campo histórico-jurídico brasileiro e, mais especificamente, avaliar o papel do Poder Judiciário em relação às políticas públicas nas dimensões federal, estadual e municipal. A escolha do tema se justifica porque o interesse pelas políticas públicas vem crescendo em simetria com o agigantamento do Poder Executivo, fenômeno iniciado no Estado social. Dessa forma, se pode dizer que as políticas públicas têm representado os instrumentos de ação dos governos, numa clara substituição do "governo por leis" pelo "governo por políticas". Além disso, o Estado constitucional tem imposto uma redefinição do papel e das funções do Poder Judiciário, porquanto, com a evolução do Estado das leis para o Estado das políticas públicas, restou ao Judiciário a função de assegurar a implementação dos direitos fundamentais e a progressiva marcha da sociedade para um ideal de justiça substancial. Então, caberia perguntar: O Poder Judiciário pode intervir nas políticas públicas adotadas? Assim, em momentos de intenso debate político, como o atual, o estudo histórico-jurídico das políticas públicas se torna ainda mais relevante, conquanto a sua consecução não pode ficar ao arbítrio puro do agente político, já que as ações governamentais encontram diretrizes e balizas na Constituição da República.

______________________________________________________________________________________________________________

 

ST 7 - Dinâmicas Africanas e Afro-Brasileiras: história, religião, cultura e sociedade 

Daniel Precioso - Doutor em História-UFF, PPGHIS-UEG

Léo Carrer Nogueira - Doutor em História-UFG, PPGHIS-UEG 

Resumo: A partir de 2003, o ensino de História da África e da Cultura Afro-Brasileira tornou-se obrigatório por lei nas escolas brasileiras. Desde então, um crescente número de historiadores tem desenvolvido projetos de pesquisas que elucidam, em diversos aspectos, a história e a cultura das diferentes sociedades africanas e afro-americanas. Este simpósio temático pretende congregar historiadores que desenvolvem pesquisas nessas áreas de conhecimento, com o objetivo de promover um intercâmbio empírico, teórico e metodológico. Serão bem-vindas propostas de trabalhos em História da África e da Cultura Afro-Brasileira que abordem: os processos religiosos e culturais nas sociedades africanas e afro-brasileiras; os aspectos teórico-metodológicos dos estudos desenvolvidos nesses campos de conhecimento; as trajetórias individuais e grupais de agentes religiosos e culturais no continente africano e na chamada diáspora africana; os cultos religiosos, as festividades e o folclore negro na América; a resistência negra no continente africano e na diáspora; os processos de ensino-aprendizagem em História da África e da Cultura Afro-Brasileira; recursos e materiais didáticos para o ensino de História da África e da Cultura Afro-Brasileira, entre outros.

_________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 8 - Comunidades e Povos Tradicionais: questões agrárias em tempos de retrocessos

Edevaldo Aparecido Souza - Doutor e Pós-Doutor em Geografia, Universidade Estadual de Goiás, Câmpus Quirinópolis

Joasé Novaes de Jesus - Doutorando em Geografia (UFG), Universidade Estadual de Goiás, Câmpus Quirinópolis

RESUMO: Desde 2017 a sociedade brasileira está passando por grandes retrocessos no que se refere aos direitos garantidos na Constituição Federal de 1988, resultado de muitas lutas de trabalhadores e trabalhadoras desse país durante muitas décadas. Dentre os direitos ameaçados estão as comunidades e povos tradicionais, legalmente amparados pela legislação brasileira, passou a integrar a agenda do governo federal em 2007, por meio do Decreto 6040, que instituiu a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais (PNPCT). São reconhecidos como povos indígenas, comunidades quilombolas, camponesas, ribeirinhas, seringueiros, castanheiros, quebradeiras de coco babaçu, fundos de pastos, vazanteiros, dentre outros. Em 2019 o governo brasileiro tem apresentado discursos e projetos para agradar o agronegócio, colocando em xeque a permanência dessa população no campo. A ideia é estabelecer uma política que permita aos indígenas e quilombolas arrendarem suas áreas de reservas para os grandes fazendeiros, madeireiros e mineradores explorarem a vegetação, o solo e o subsolo. A proposta é também não mais realizar nenhuma demarcação de terras para essa populações. A ordem é a retirada dos camponeses e outras comunidades tradicionais do espaço rural para dar lugar aos grandes projetos de investimentos de commodities, produção energética e outros, como vem se manifestando, de forma violenta, no MATOPIBA e no norte do país, mas que também ocorre em outras regiões brasileiras. É preciso, mais do que antes, pesquisas e publicações sobre os territórios dessas populações para compreender como esse processo está sendo conduzido, para denunciar os abusos e para propor à sociedade alternativas de políticas públicas que preservem os direitos desses sujeitos e comunidades.

__________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 9 - Educação, Sociedade e Sistema de Crenças

Gilson Xavier de Azevedo - Doutor, UEG Quirinópolis

Lila Maria Spadoni Lemes - Doutora, PUC GO  

RESUMO: Considera-se, para efeito de debate, a Educação em seus mais variados aspectos, sentidos e performances sociais, produtora de simbolismos e significados (Geertz; Bourdieu; Freire). Ao propor pensar as muitas nuances do termo educare, abre-se um leque de possibilidades em relação às pesquisas que discutem o papel, a presença, a ação, o significado, e a atual relevância que a mesma possui nas condições de fato social e na ação burocrática (Durkheim, Weber). Em primeiro lugar, a Educação, em seu sentido macro, é, ao mesmo tempo, elemento fundante e fundado pelas muitas estruturas sociais existentes, atravessando os campos da antropologia estrutural e da sociologia compreensiva. Em segundo lugar, essa mesma Educação, enquanto estrutura, (Lumann; Strauss) desenvolve-se em sociedade a partir dos campos e de elementos como hábito, afetividade, fatores socioculturais e conceitos adquiridos, dado que tais fatores estão relacionados ao elemento motriz, tanto de Educação e sociedade que é a crença ou, em seu todo, o sistema de crenças. Em terceiro, pretende-se debater as muitas temáticas que este GT abriga, a partir da concepção de Educação e Sistema de Crenças (Freud; Cotterall) enquanto origem e fonte das muitas construções sociais no atual contexto de mundo.

____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 10 - Catolicismo(s) na América Latina:  tradições, crenças e representações religiosas 

Eduardo Gusmão de Quadros – Doutor, UEG/PUC Goiás

Washington Maciel da Silva – Doutor, UNESP/FRANCA 

RESUMO: Este Simpósio Temático tem como objetivo debater investigações acadêmicas que utilizem a História e as Ciências Sociais para compreender o catolicismo como parte da constituição latino-americana. Essa mirada proporciona aos pesquisadores desenvolverem propostas que pautem as mudanças e as permanências das tradições religiosas e suas reformulações dentro do catolicismo. Há vários aportes teórico-metodológicos que mostram a continuidade das tradições como fornecedoras de sentidos e garantidoras das identidades. Destacamos a constância dos catolicismos populares na prática religiosa na América Latina, como tem sido apresentados por vários autores, a exemplo de Mallimaci, Germani, Parker, Dussel, de Solis e Canclini. Assim sendo, perante aos complexos sentidos e significados que mantêm o(s) catolicismo(s) popular(es) precisamos também relacioná-los com as politicas institucionais. Por isso, o objetivo da proposta visa debater temas e metodologias para reescrever a História partindo daqueles que a compõem. Temos como pauta central as suas práticas, saberes, tradições e identidades manifestadas durante as operações simbólicas e rituais. O Simpósio Temático que ser um espaço para o diálogo interdisciplinar e uma oportunidade para analisar as manifestações que compõe a eclesiosfera (Poulat) católica.

_____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 11 - Estado e Poder no Brasil Contemporâneo: intelectuais e instituições a frente da organização do capital 

Marco Aurélio Corrêa de Araújo - Doutorando - Universidade Federal de Goiás (UFG) 

RESUMO: O presente Simpósio Temático buscará desenvolver discussões em torno da relação entre Estado e Poder no Brasil contemporâneo, em que, através de análises sobre intelectuais e instituições, os quais estiveram a frente da organização tecnocrática do Estado nacional, tentaremos então esclarecer um pouco da importância desta relação para o desenvolvimento e consolidação do capitalismo monopolista sobre o território brasileiro. Teremos como norte debates envolvendo a análise teórico-metodológica e conceitual de temas envolvendo Estado, Intelectuais, capitalismo monopolista e desenvolvimento econômico dependente. Neste contexto percebemos o Estado como um agente de produção, o que garantiu a expansão e consolidação do capitalismo monopolista no cenário nacional, pois o Estado desempenhou funções decisivas (tanto econômicas como políticas) para o funcionamento e a expansão do processo em análise. Neste ínterim, deve-se reiterar que para este Simpósio Temático as várias linhas de pesquisa que se orientam na perspectiva analítica da história econômica, social e política, baseando-se fundamentalmente em um suporte teórico-metodológico dialético, serão de extrema valia para o aprofundamento do debate.

______________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 12 - Religião e Modernidade

Robson Rodrigues Gomes Filho - Doutor, PPGHIS-UEG-Morrinhos

João Paulo de Paula Silveira - Doutor, UEG-Iporá, PPGHIS-Morrinhos

RESUMO: A relação entre religião e modernidade tem alvo constante de reflexões e debates. De modo geral, foi comum ao longo do século XIX e parte do século XX a aposta em uma crise da religião face ao avanço do mundo industrial e moderno. Autores das mais diversas áreas do conhecimento, abalizados nos mais diversos posicionamentos políticos, sociais e intelectuais, como Karl Marx, Friedrich Nietzsche, Max Weber, Ernst Troeltsch, Sigmund Freud, dentre outros, desenvolveram interpretações nas quais a religião certamente minguaria à medida que o racionalismo e a industrialização se desenvolvessem nos mais diversos ramos da sociedade. Entretanto, como observa o historiador Sérgio da Mata (2010) em sua obra História & Religião que “sistemas de crença, seitas e igrejas não refluíram ante o avanço da ciência e da racionalização. A ‘ilusão’ religiosa passou a se servir e cada vez mais da técnica, de forma a ampliar sua influência. O mundo não foi desencantado.” Em face disso, o presente simpósio temático acolhe pesquisas e debates que pensam as relações entre as religiões, em suas mais variadas formas e expressões, institucionais, ou não, com as dinâmicas da modernidade e pós-modernidade.

____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 13 - O Currículo do Novo Ensino Médio e a BNCC 

Érico Ricard Lima Cavalcante Mota - Mestre, Doutorando UFMT, UEG - Jussara 

RESUMO: Após a última LDB, e sob o discurso de construir um currículo nacional comum, o governo federal publicou, a partir de 1997, vários volumes que nomeou de Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN's), sugerindo orientações curriculares para a Educação Básica . Os parâmetros curriculares serviram de documento direcionador para a elaboração dos currículos nas redes e sistemas de ensino municipais, estaduais e federais de todo o Brasil, sobretudo do Ensino Médio, que é o tema proposto neste simpósio. Na década em curso, o Ensino Médio continua a cumprir várias funções, dependendo da classe social ao qual o estudante pertença: propedêutico nas escolas particulares, técnico e profissionalizante nas escolas públicas, escolas técnicas, institutos federais e estaduais de educação. Por outros lado, os trabalhos que elegem a temática do Ensino Médio trazem em si tensões necessárias que foram problematizadas no decorrer de muitos estudos realizados. Considerando este tema, abre-se um leque de questões que precisam ser debatidas e problematizados, dentre eles destacam-se os seguintes: perspectiva teórica, política educacional, função social, finalidade, currículo, financiamento, formação de professores, método, estrutura, funcionamento, dentre outros aspectos. Neste contexto complexo e multifacetado, o governo federal propõe a reforma curricular do Ensino Médio institucionalizado através da Lei 13.415/2017. Com a aprovação do documento que institui a Base Nacional Comum Curricular para o Ensino Médio, professores, gestores e até estudantes, começam a se perguntar sobre a qualidade das mudanças propostas. Neste contexto, surgem muitas análises, colaborações e críticas de pesquisadores, professores e estudiosos do assunto. Este Simpósio Temático tem por objetivo acolher os trabalhos que discutam o Ensino Médio, seu currículo e a Base Nacional Comum Curricular.

____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 14 - Desafios e Desigualdades no Ensino de História na América Latina no Contexto da Globalização

Nalva dos Santos Camargo Silva – Mestre, UEG Campus Itapuranga

RESUMO: O contexto educacional latino-americano, vem nas últimas décadas sendo transformado, em virtude de uma grande variação social, mas sobretudo, econômica. Diante deste cenário, surge em vários países em específico nesse estudo da América Latina, intensos desafios, além de uma profunda desigualdade no ensino. A discussão proposta nesse trabalho visa a partir do contexto latino americano, refletir sobre o ensino de História, avaliando inclusive questões que demonstram os constantes desafios vivenciados para esta disciplina, a partir do contexto da globalização. Nesse entendimento, vislumbra-se a partir dessa temática, receber propostas de comunicações que dialoguem com o tema, mostrando abordagens distintas acerca da questão e também que possam aprofundar o debate acerca dos desafios e desigualdades no ensino de História em países da América Latina ou América do Sul. O estudo alicerça-se teoricamente nas discussões de Carnoy e Rhoten (2002), Azevedo (2004), Anderson (2005), entre outros, cujas reflexões tratam sobre a temática proposta e enfatizam a importância do diálogo sobre a educação frente às transformações sociais, políticas e econômicas vivenciadas na América Latina, mormente no século XXI. Dessa maneira, vislumbra-se com essa proposta ampliar o debate sobre o ensino de História, pensando estes a partir dos desafios e das desigualdades.

_____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 15 - Teoria da História: epistemologias e métodos na história da historiografia

Manoel Gustavo de Souza - Doutor, UEG

Luiz Sérgio Duarte da Silva - pós-doutor, UFG 

RESUMO: Epistemologias e métodos estabelecem em Teoria da História uma relação de interdependência, ainda que não se confundam. Por epistemologia entende-se o conjunto de pressupostos teóricos que caracterizam o sujeito e o objeto do conhecimento, bem como o próprio processo de conhecer, enquanto a metodologia se refere à maneira de realizar uma pesquisa. Trata-se de como fazer uma pesquisa e, desde a modernidade, do conjunto de regras para se obter a confirmação ou recusa de uma hipótese. Desde Heródoto, no entanto, inúmeros métodos foram utilizados para se alcançar um conhecimento do passado o mais seguro, métodos orientados pelos mais diversos pressupostos sobre o que seja o passado, seus resquícios e rastros - as fontes - ou o historiador, esse tipo de pesquisador que precisa antes constituir por meio de resquícios o seu objeto de estudo. Singular precariedade epistemológica, portanto, a que funda o método histórico. O presente simpósio temático busca abrigar trabalhos que reflitam sobre a natureza epistemológica do conhecimento histórico e sobre as maneiras diversas de levar a cabo uma pesquisa em História. Com a intenção última de colocar em perspectiva a construção mesma do conhecimento histórico, sua dimensão teórico-metodológica, nos reuniremos para revisitar problemas como: qual o estatuto de cientificidade do conhecimento histórico? Qual a sorte da noção de neutralidade em Teoria da História? Qual o papel da linguagem, do discurso e da narrativa, na construção do conhecimento histórico? Por fim, qual o lugar da História entre as demais ciências humanas e como a História da Historiografia pode nos ajudar a responder essa pergunta?

_____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 16 - História e Contexto de Formação de Professores da Educação Básica 

Joana Corrêa Goulart - Doutora, Universidade Estadual de Goiás

Iria Brzezinski - Doutora, Pontifícia Universidade Católica de Goiás 

RESUMO: As questões a serem debatidas neste Simpósio Temático referem-se a àrea da educação, mais especificamente, da formação de professores, visto que ainda são tantas as perguntas relevantes que precisam ser formuladas, tantas as problemáticas que os educadores ainda precisam conhecer, que existem espaços para muitos tipos de investigação. Dentre as temáticas a serem debatidas, destacam-se: Metodologias de ensino-aprendizagem nas diversas áreas do conhecimento; Indicadores de qualidade do ensino-aprendizagem, do trabalho didático e da carreira docente; Avaliação do processo ensino-aprendizagem; Indicadores de desempenho dos sistemas de ensino; determinantes da qualidade de ensino; Educação especial e inclusão; Questões e discussões sobre o currículo da educação básica; Abordagens interdisciplinares e multidisciplinares de áreas de conhecimentos afins. A formação de professores para a educação básica, suscita amplos debates que são do interesse tanto das instituições formadoras, quanto dos sistemas de ensino da educação básica e ensino superior. Constituem-se metas deste Simpósio Temático a busca da indissociabilidade entre teoria e prática, por meio das atividades de pesquisa, bem como, a produção científica, que possui um campo essencialmente voltado para a prática social na qual os profissionais devem ser pesquisadores e atores, intelectuais formadores de educadores.  Compreendendo a docência como base de formação de todo profissional da educação, a pesquisa torna-se intrínseca esse processo, considerando o princípio formativo e epistemológico.

____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 17 - Educação, Patrimônio, Memória  e Cultura Popular 

Cleumar De Oliveira Moreira - Mestre, Ueg-Campus Inhumas

Gleidson De Oliveira Moreira - Mestre, PPGAS-UFG

RESUMO: Estudos de teorias e práticas relativas a educação, patrimônio (material e imaterial) e cultura popular.  Eixos de análise primando por questões epistemológicas, empíricas e ontológicas; significados e sentidos históricos e contemporâneos da educação popular; vínculos entre educação e as manifestações culturais populares; formação docente na perspectiva da educação popular; educação popular enquanto processo social de ensino-aprendizagem; compreensão da realidade concreta do ensino e da aprendizagem no cotidiano das instituições de ensino; a escolarização de grupos historicamente excluídos; a cultura popular enquanto movimento social de aprendizagem na América Latina; contribuições da educação e das culturas populares para os sistemas de ensino formal e não-formar na América; espaços de memória e de destino das coisas; centros de cultura, casas de cultura, museus e cemitérios enquanto espaços de memória; aplicações e usos de cultura popular em pesquisas nas ciências humanas.

____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 18 - Redes Sociais e Mídia: importantes instrumentos para a prática educacional e na (des) construção da cidadania

Enival Mamede Leão – Mestre, UEG - Câmpus Pires do Rio

RESUMO: Em tempos de redes sociais, de compartilhamento aleatório de informações, de muitos boatos e de fake news rolando pra todos os lados e basicamente em vários meios de comunicação, de ascensão dos extremismos, de reprodução de desigualdades, e o uso político do medo, é fundamental pensarmos na responsabilidade de veiculação das ideias e das informações. Nesse sentido, alarmantes ataques à democracia e à profissão docente colocam para os historiadores o desafio de pensar as mídias dentro dos projetos políticos e dentro da disputa de poder. Esse debate propõe uma introdução ao amadurecimento da reflexão midiática: os historiadores precisam perceber as empresas de comunicações (rádio, TV, cinema, internet, etc.) e as informações veiculadas como históricas, ou seja, pertencentes a uma estrutura, a uma conjuntura, possuindo interesses políticos próprios. Considera-se aqui fundamental que os historiadores e os pensadores de um modo geral saibam distinguir as informações enquanto um discurso, ou seja, parte de alguém e é direcionado a um público. Propõe-se, num primeiro momento, uma reflexão a partir dos autores que estudaram as mídias como parte de veiculação ideológica, ou seja, de domínio de uma classe sobre a outra. Em um segundo momento, será realizado um debate mais aprimorado entre acadêmicos e professores na e pra academia.

____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 19 - História e Infância na América Latina – ideias, representações sociais, educação e aspectos legais

Roberta Aline Sbrana - Doutora, Bolsista da Projeto de Pesquisa “John Dewey e a Tradição Retórica em Educação” (CNPq/USP).

RESUMO: O Simpósio Temático História e Infância na América Latina – ideias, representações sociais, educação e aspectos legais, tem como objetivo analisar e discutir trabalhos acadêmicos, em andamento ou concluídos, que se dedicam a compreender as ideias, as teorias e os seus desdobramentos, bem como as representações sociais sobre a Infância e a criança desenvolvidos nos países da América Latina, principalmente no Brasil, desde o processo de sua colonização no século XVI, por portugueses ou espanhóis, até os dias atuais. Este Simpósio Temático também se dedicará a examinar e discutir as pesquisas que buscam entender as instituições e as diferentes formas de cuidar e educar a criança, indivíduo que vive a infância, desenvolvidas no Brasil e na América Espanhola ao longo dos séculos XVI e XXI, além dos estudos voltados à compreensão dos diferentes tipos de infância – pobre, rica, desvalida, negra, indígena, branca, delinquente, etc., ou que se debruçam sobre as legislações que tratam dos direitos próprios à essa fase da vida. As mencionadas discussões e análises terão como finalidade compartilhar os conhecimentos já formulados e conhecidos sobre a Infância e a sua Historicidade com a comunidade científica e com os participantes do III Simpósio Internacional de História da Universidade Estadual de Goiás, além de buscar contribuir para que seus autores possam encontrar novos caminhos para ampliar os seus estudos em andamento ou aqueles que já foram concluídos. As análises e discussões desses trabalhos acadêmicos serão desenvolvidas antecipadamente pela autora desse Simpósio Temático, e complementadas pelo público presente durante a sua exposição.

_____________________________________________________________________________________________________________________ 

ST 20 - História do Caribe: sociedade, política e cultura

Thais Rosalina de Jesus Turial - Doutoranda em História, Universidade de Brasília (UnB)

RESUMO: Apesar da diversidade linguística, cultural e política, os países caribenhos compartilham temas históricos comuns e enfrentam desafios semelhantes: o colonialismo, a escravidão e a economia pouco diversificada, por exemplo, fazem parte do cenário histórico de muitos deles. Por outro lado, a resistência é um tema igualmente recorrente no Caribe: a resistência à escravidão, à exploração, ao colonialismo, à fragmentação política local, à dependência e à marginalidade. No século XX e XXI, novos desafios se impõem à medida em que esses países buscam se beneficiar das mudanças associadas à economia global em desenvolvimento. A migração externa foi e continua a ser uma resposta comum à vulnerabilidade econômica e às instabilidades políticas, impactando as formações histórico-sociais da Europa, da América do Norte e da América do Sul, principalmente. Desse modo, este Simpósio Temático objetiva criar um espaço para o debate sobre pesquisas que versem acerca das diversas temporalidades e espaços caribenhos, especialmente sobre aqueles países da região também identificados como latino-americanos, abarcando os mais variados processos históricos e debates historiográficos. São bem-vindas pesquisas que lidem com os diferentes enfoques teórico-metodológicos, englobando estudos que tratem de aspectos sociais, políticos, culturais e econômicos do Caribe, visando, assim, ao debate interdisciplinar.

_____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 21 - Cultura e História Regional: resgatando singularidades 

Cleber Cezar da Silva - Mestre, Professor do Instituto Federal Goiano – Campus Urutaí. Doutorando  - Universidade de Brasilia 

Wesley Lima Andrade - Professor do Instituto Federal Goiano – Campus Urutaí. Doutorando em História pela Universidade Federal de Goiás

RESUMO: O simpósio temático tem como objetivo refletir sobre a cultura em diversas áreas da ciências humanas e sociais. Ver e ouvir requer, também, discutir o conceito de cultura. Partido dessa premissa a presente proposta é problematizar as várias formas como a cultura popular vem sendo analisada e debatida no âmbito da ciências sociais. São objetos desse simpósio todas as práticas populares que (re)significam o povo e materializando nas festas, devoções, praticas cotidianas. Buscando afirmar este  simpósio como lugar de convergência de pesquisadores que tenham a cidade e suas vivências como foco de análise, visando criar um debate e aproximar pesquisadores da temática no âmbito regional. Compreendemos as cidades como lugar de disputas, tanto narrativas quanto espaciais, presentes em manifestações que abrangem os campos da política, cultura e economia. Deste modo, este simpósio tem como objetivo ampliar os debates sobre as diversas questões que envolvem os usos das cidades, como planejamentos, a construção da paisagem, formação das territorialidades, diálogo com o rural, além das táticas e estratégias do cotidiano urbano.

______________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 22 - Escravidão, Emancipação E Outras Experiências de Afrodescendentes e de Indígenas no Brasil: historiografia e educação 

Clarissa Adjuto Ulhoa - UFG, Regional Jataí

Murilo Borges Silva - UFG, Regional Jataí

Sandra Nara da Silva Novais - UFG, Regional Jataí 

RESUMO: Este simpósio temático pretende estabelecer diálogos interdisciplinares entre estudantes, professores do Ensino básico, pesquisas e projetos que se dedicam aos estudos da escravidão, da emancipação e de outras experiências de afrodescendentes e de indígenas no Brasil a partir das diferentes abordagens nos campos da História e da Educação no âmbito das leis 10639/03 e 11645/08. Neste sentido, interessa-nos trabalhos voltados para a experiência de africanos/as e seus descendentes, bem como dos/as indígenas, no processo de construção (e reconstrução) das relações culturais, afetivas, políticas, sociais e de poder a partir do fim da escravidão; portanto, estratégias cotidianas de homens e mulheres escravizados/as, libertos/as, afrodescendentes e indígenas que perpassaram e perpassam a sociedade brasileira no passado e na contemporaneidade.

______________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 23 - Experiências Estéticas para um Mundo de Democracias

Marcos Antonio de Menezes - Doutor, PPGH - UFG

Aguinaldo Rodrigues Gomes - Doutor, PPGEdu - UFMT Rondonópolis

RESUMO: Este Simpósio Temático pretende aglutinar pesquisas que tenham como mote pensar as alteridades em experiências estéticas e educacionais, em uma sociedade que se quer democrática. Assim sendo gostaríamos de receber propostas de comunicação que abordem arte e sociedade nos séculos XIX e XIX. Conceito como: experiência, arte, narrativas, representações, estéticas e gênero são especiais para as discussões neste ST. Compreendemos as manifestações artísticas como categorias de pensamento ou como parte da complexidade representacional do ser humano no tempo, capazes de produzir formas de se ver, sentir, narrar e edificar o que concebemos como realidade. Todo tipo de narrativa possui linguagens especificas próprias do contexto no qual foram produzidas. No entanto, contextualizar essas narrativas e linguagens é indispensável para elucidar o contexto histórico, suas relações socioculturais e suas características estéticas. A proposta do ST é então fomentar um proveitoso debate sobre as possibilidades e os desafios colocados a partir das pesquisas com essas fontes, de modo a tornar possível a conformação de novos caminhos e referências.

______________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 24 - História da Loucura no Brasil e na América Latina

Eduardo Sugizaki - Doutor, Professor Pontifícia Universidade Católica de Goiás

Michel Barbosa Gomes - Mestre em história pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás 

RESUMO: Foi Michel Foucault quem, na década de 1960, alterou profundamente o modo de conceber a história dessa diferença que as sociedades ocidentais chamaram ‘loucura’. Numa história de profundas transformações, desde a Renascença, passando pela Idade Moderna (ou Idade Clássica) e chegando à nossa modernidade, com o nascimento da psiquiatria e da ‘doença mental’. É verdade que o próprio Foucault também fez histórias da psiquiatria. Mas a história da loucura é a que pensa a loucura como personagem nessa longa história ocidental, que alcançou a América Latina, justamente na Renascença. Depois da publicação de Histoire de la folie, vieram os importantes trabalhos de Robert Castel, que explicitamente seguiram a démarche de Histoire de la folie. Também no Brasil, com a publicação de Danação da norma, sob a coordenação de Roberto Machado, seguido pelos trabalhos de Maria Cunha, sobre o Juquery, o de Magali Engel, sobre o Juliano Moreira. Gostaríamos de reunir, nesse Simpósio Temático, pessoas que se sentem, de alguma forma, ligadas ao campo de visão filosófica que aproxima todos esses autores, seja dedicando-se a aprofundar o conhecimento deles, seja abrindo-se para realidades locais, regionais, continentais e civilizacionais (no Brasil e na América Latina) que atinem ao largo espectro da diferença rejeitada civilizacionalmente sob o nome de loucura ou sob uma das centenas de categorias contemporâneas de “doenças mentais”, “transtornos mentais” e desvios de comportamento. Também acreditamos que são pesquisadores muito ligados ao nosso campo de interesse aqueles que vindos de outras áreas do saber, além da filosofia e da história, que têm se interessado pelos movimentos de luta contra as formas de fabricação das subjetividades e de divisão dos sujeitos por práticas derivadas da chamada “função PSI”.

_____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 25 - Políticas, Saberes e Práticas em Educação: desafios do tempo presente 

Lázara Cristina da Silva - Doutora, Universidade Federal de Uberlândia 

Delvania dos Santos Freitas Silva - Mestranda, UEG-Câmpus Quirinópolis

RESUMO: Objetivando promover espaço de diálogos e comunicação sobre “Políticas, saberes e práticas em Educação com seus desafios no tempo presente”, apresenta-se proposta de discussão de pesquisas concluídas ou em andamento de professores da Educação Básica, de estudantes da graduação e pós graduação e outros pesquisadores que se enquadrem no tema. Estamos vivendo momento histórico em que as políticas e os saberes estão sendo descaracterizados notadamente. Qual tem sido o papel da educação neste contexto? São poucas as políticas que conseguiram extrapolar os discursos e se efetivar de fato, retrocessos inimagináveis. No entanto, são os espaços de debate/embate que darão rumos e forças para não haver desistências ou enfraquecimento na luta. São várias as questões: como caminhará as políticas públicas pró-educação? Qual rumo será dado às ciências, às pesquisas, às intuições que as financiam? Qual o desfecho da educação em suas diferentes modalidades? Qual será o papel do Estado frente à Educação, que deixa de ser coerente com sua função de provedor do crescimento e bem-estar social e que tem reduzido sua atuação? São inúmeros questionamentos, que em situação de crise podem conduzir a práticas educacionais lúcidas, fortes e duradouras. É o que se pretende promover nesse movimento reflexão/ação, conjuntamente com o Núcleo de Pesquisa para as Diferenças/Diversidades da UEG-Câmpus Quirinópolis, com Grupo de Estudos e Pesquisas Políticas e Práticas em Educação Especial e Inclusão Educacional (GEPEPES - UFU) e com os participantes.

 ____________________________________________________________________________________________________________________

 

ST 26 - Educação, Gênero e Feminismos no Currículo Escolar: resistências e enfrentamento aos ditames sociais 

Kildilene Carvalho Matos Mota – Mestra, Pedagoga UFMT

Maria Regina de Lima Gonçalves Oliveira - Mestra, PPG-IELT/UEG 

RESUMO: Este simpósio temático tem por objetivo principal reunir trabalhos que se vinculem à Educação numa perspectiva crítica, com ênfase nos estudos de currículo que abordam às questões relativas ao gênero e/ou aos feminismos, independente à qual onda se vincule. Entende-se currículo, em seu sentido amplo, como o conjunto de tudo que se ensina e que se apreende na escola, ou em decorrência da longa e duradoura experiência escolar (MOTA; MOTA, 2015). Neste sentido, o conjunto de signos, significados e sentidos validados ou impostos pela escola são pertinentes nesta discussão. Trata-se de uma proposta centrada em pesquisas cujos objetivos sejam desvelar, resistir e enfrentar os ditames sociais, sobretudo, aqueles advindos e/ou reforçados pelo contexto sociopolítico atual. Pretendemos também receber propostas que versem sobre o atual contexto educacional perpassado pelas questões de gênero, classe, raça e pelas dissidências sociais dos agentes de ensino (professoras/es e estudantes). Nesse sentido, nossa preocupação se centra principalmente em evidenciar as mordaças que ainda ameaçam a educação e, consequentemente, aquelas/es que fazem parte dela. Pretendemos, portanto, com este simpósio temático trazer elementos ao debate e, sobretudo, posturas pedagógicas e sociais de enfrentamento, resistência e contestação.

_________________________________________________________________________________________________________

 

ST 27 - Os intelectuais e a América Latina: tentativas de compreensão

Valtuir Moreira da Silva - Doutor, UEG, Câmpus Itapuranga

Lucas Pires Ribeiro - Mestre. UEG, Câmpus Itapuranga. Doutorando UFG

RESUMO: O presente Simpósio Temático tem como proposta reunir trabalhos de pesquisadores e pesquisadoras que estão voltados para pensar intelectuais latino-americanos ao longo do processo histórico, assim como intelectuais de outras nacionalidades/regiões, mas que voltam ou voltaram parte de suas pesquisas para pensar a América Latina. A partir da história/trajetória e produção dos intelectuais acreditamos ser possível compreender melhor a América Latina nos valendo das diferentes realidades socioculturais que construíram esse imenso continente tanto “ontem”, quanto “hoje”. Nesse sentido, por meio de poetas, filósofos/as, historiadores/as, literatos, geógrafos/as, sociólogos/as, antropólogos/as, intelectuais do cotidiano, entre outros, é possível desnudar os principais acontecimentos que marcam a trajetória da América Latina como, por exemplo, colonização, genocídio, escravidão, independência, revoluções, autoritarismo, ditaduras, resistências, neoliberalismo, movimentos sociais, decolonialidade e inúmeras outras possibilidades de pesquisa que o tema proporciona. O objetivo é que o Simpósio possa agregar desde trabalhos centrados em intelectuais que tiveram suas “obras” reconhecidas academicamente e socialmente, até intelectuais que não conseguiram adquirir tamanha notoriedade, mas que nem por isso deixam de ser importantes no conjunto da interpretação social que procuramos alcançar. A proposta é ampla e visa contribuir com o debate historiográfico sobre a América Latina.